22 de outubro de 2015

Vale das Videiras prepara-se para receber decisão

267247_550722__xmt3393_luiz_felipe_viani___ximi

Foto: Ximiti //

Etapa final da competição pioneira de MTB no País será entre os dias 30 de outubro e 1º de novembro, em Itaipava (RJ).

O Vale das Videiras, em Itaipava, na região serrana do Rio de Janeiro, prepara-se para receber, na próxima semana, a decisão do Brasil Enduro Series. Competição pioneira de Enduro MTB no País, o BES contará com cerca de 200 mountain bikers em sua terceira e última etapa, entre os dias 30 de outubro e 1º de novembro. As inscrições podem ser feitas pelo site www.brasilendeuroseries.com.br e serão encerradas nesta sexta-feira.

“Chegaremos ao nosso limite máximo de inscritos e só faltam dois dias para o término. Então, sugiro aos ciclistas que não se inscreveram ainda, que se apressem para fazer a inscrição. Quem for a região Serrana do Rio de Janeiro não vai se arrepender, porque o lugar é demais e a pista tem algumas trilhas totalmente novas. A diversão está garantida”, afirma Daniel Bender, organizador da competição.

Além do divertimento, também está assegurada a emoção, principalmente na disputa pelo título da categoria pro. O valadarense André Bretas lidera, com 960 pontos, mas é seguido de perto pelo paulista Thiago Boaretto (860) e pelo catarinense Nataniel Giacomozzi (840). Diego Knob e Leonardo Matiolli correm por fora, mas com poucas chances de levantar o troféu.

“Assim como nas etapas anteriores, as especiais terão características peculiares à região. O chão é mais socado, o que resulta em menos bateção e buraqueira. Há partes com várias curvas em sequência, muitas delas em descidas. Algumas trilhas estão sendo construídas especialmente para o evento”, explica Théo Duarte, organizador do Brasil Enduro Series e natural de Itaipava.

A organização do BES não poderia encontrar cenário melhor para uma competição de Enduro MTB. O Vale das Videiras é considerado por muitos a mais bela região rural da serra fluminense, pois sua paisagem conta com montanhas, riachos e cachoeiras. Na época do Brasil Colônia, o local era repleto de fazendas que serviam como pousadas nas viagens entre a Cidade Imperial de Petrópolis e as fazendas de café de Vassouras ou as minas de ouro. Recebeu este nome durante o Império, quando imigrantes italianos plantaram parreiras para tentar produzir uvas em escala comercial.

Toda a estrutura da competição será montada no Galpão Caipira, onde há um bar com sanduíches especiais, sucos naturais, cervejas, cachaças e outras iguarias produzidas nas redondezas, além de vestiários para os ciclistas e um spa.