29 de abril de 2015

Velopark tem vitórias de Daniel Serra e Max Wilson

251209_495338_dud_2737

Foto: Duda Bairros //

Inúmeras trocas de posição nas duas baterias, toques, e muita disputa no circuito mais curto da temporada.

O público que compareceu ao Autódromo do Velopark, em Nova Santa Rita (RS) no último domingo pôde acompanhar duas corridas movimentadíssimas do Circuito Schin Stock Car. A terceira etapa do campeonato viu as vitórias de Daniel Serra, da Red Bull Racing, e de Max Wilson, da Eurofarma-RC, em duas provas repletas de disputas, toques e muitas ultrapassagens.

A grande arma dos pilotos estava no uso do botão de ultrapassagem, o push-to-pass, que no Velopark, um circuito curto (2.278 metros), mas com duas longas retas. Por isso, quem viu as duas provas da arquibancada ou pela TV viu uma grande quantidade de disputas e trocas de posição.

Na primeira corrida, mais longa, a vitória ficou com Daniel Serra, que atacou e passou o pole position Marcos Gomes e se tornou o maior vencedor da história do circuito gaúcho, com três vitórias (2011, 2013 e 2015). Gomes terminou em segundo lugar com o carro da Voxx Racing e Julio Campos foi o terceiro pela Prati-Donaduzzi. Max Wilson fez grande trabalho de recuperação ao largar da 24ª colocação e cruzar a linha de chegada em décimo, garantindo a primeira posição no grid da segunda prova. Entre Campos e Wilson terminaram Rubens Barrichello, Cacá Bueno, Ricardo Maurício, Allam Khodair e Diego Nunes.

“A primeira corrida foi muito dura. Eu tinha aquela diferença para o Marcos Gomes – e uma hora era o Marcos, depois era o (Julio) Campos, e mais porque a gente usava o push de forma alternada. Aqui ele dá muita potência e algo em torno de seis décimos de segundo só na reta. Eu andei classificando em todas as voltas, igual o Marcos e o Julio. Terminamos os três no pódio mortos de cansaço e até comentamos entre nós que ‘mandamos pau’ a corrida inteira. Já a segunda também foi muito boa. As coisas foram se encaixando no lugar certo na hora certa, e consegui sair de décimo para quarto”, disse Serra, que somou só hoje no Velopark 35 pontos e ocupa a nona colocação com 36.

A segunda prova mostraria quem usou de melhor estratégia no uso dos botões de ultrapassagem. Quem gastou muito na primeira corrida teria suas chances reduzidas na segunda, e quem economizou poderia se dar melhor. E foi justamente o caso de Max, que largou na frente e praticamente não foi mais incomodado.

Ele teve uma liderança de certa forma tranquila, e era acompanhado de perto pelo companheiro de equipe Ricardo Maurício, mas o bicampeão teve de ir aos boxes com um pneu furado, voltou, completou a prova na nona posição e ainda marcou a volta mais rápida do domingo, recebendo o Troféu Mobil pelo feito. Cacá Bueno, assim, subiu ao segundo posto e manteve a liderança no campeonato com 62 pontos. Isto posto, o pentacampeão não chegou a iniciar uma disputa pela liderança contra Max Wilson, que venceu pela primeira vez na temporada.

“Tranquilo nunca é. A concorrência é sempre muito forte”, destacou o vencedor da segunda prova. “A corrida começou sim um pouco mais tranquila, e tanto eu quanto o Ricardo – que infelizmente teve um problema – abrimos em relação ao Cacá, que estava em terceiro. E a gente vinha ali mantendo uma distância entre nós, e aí teve o Safety Car que juntou todo mundo. Por um lado isso foi ruim porque todos chegaram na gente, mas por outro foi bom porque estávamos um pouco apertados em relação a combustível, e essa entrada foi importante para termos gasolina visando o final da prova. Usei boa parte dos meus botões de push na primeira corrida, porque fui de 24º para décimo, mas economizei um pouco na parte final da segunda para o Cacá não ter a chance de me atacar”, contou o piloto do carro #65.

Outro destaque foi Julio Campos. O paranaense, que sempre anda forte no Velopark, conseguiu um feito inédito: nunca, no novo formato de rodadas duplas do Circuito Schin Stock Car, um piloto havia repetido a presença no pódio em ambas as baterias. E o piloto da Prati-Donzaduzzi terminou a segunda corrida mais uma vez na terceira posição, somando 30 pontos e saltando para a vice-liderança do campeonato, a apenas três pontos de Cacá.

“O mais importante são os pontos. Ano passado saímos daqui zerados e com um carro super-competitivo – acho que estava até mais rápido do que o carro que tivemos hoje – e aqui saímos com muitos pontos. No final da última corrida eu deixei de brigar por posição com o Marcos porque eu só tinha mais quatro acionamentos disponíveis e se eu fosse com menos do que isso para a segunda corrida eu ia ser ultrapassado. A estratégia deu muito certo e terminamos muito bem em ambas as provas. O mais legal vai ser chegar em casa com dois troféus”, destacou.

A próxima etapa do Circuito Schin Stock Car acontece em Curitiba (PR) no dia 31 de maio.