24 de abril de 2015

Viviane Favery termina em quarto nos Estados Unidos

250752_493829_vivi4

Foto: Divulgação //

A atleta do Specialized Factory Team concluiu a Pisgah Stage Race, na Carolina do Norte, entre as melhores.

A paulistana Viviane Favery retornou dos Estados Unidos nesta semana após conseguir concluir as cinco etapas da Pisgah Stage Race, competição disputada na Pisgah National Forest (Carolina do Norte) com a participação de atletas de ponta do Mountain Bike mundial. A ciclista de 29 anos fechou os 220 quilômetros da prova, divididos em cinco etapas, na quarta colocação geral, atrás de algumas das principais ciclistas de MTB dos Estados Unidos: Sarah Sheets, Kaysee Armstrong (campeã da edição 2014) e Ally Stacher. O melhor resultado da paulistana foi conquistado na quarta etapa, na última sexta-feira, quando Viviane terminou na segunda colocação.

“Foi uma experiência super agregadora. Ganhar de atletas com mais experiência (na quarta etapa) foi minha grande conquista. Treinei muito bem, direitinho, a ponto de chegar lá e deixá-las preocupadas. Mantive o foco o tempo todo, e isso permitiu que eu eu evoluísse muito do primeiro ao quinto dia”, comemorou.

Viviane recomendou a prova, ainda pouco conhecida. “Não tenho dúvida de que muda a vida das pessoas, o gosto delas pelo esporte. A região de Pisgah ainda é pouco conhecida, mas muitos atletas profissionais estão se mudando para lá, porque é uma prova (Pisgah Stage Race) que faz toda a diferença no preparo para a temporada. Ouvi de muitos atletas que é um dos lugares mais técnicos dos Estados Unidos para fazer Mountain Bike”, avaliou Viviane.

Os seis mil metros de subidas, quase sempre íngremes e exigentes, foram vencidos não apenas com o preparo da atleta paulistana, mas também devido à qualidade de sua bike: a Specialized S-Works Era. Além disso, Viviane também utilizou um corta-vento da Specialized, equipamento que a ajudou a superar o frio e a chuva durante os cinco dias de competição.

“A bike foi maravilhosa, fez toda a diferença. Era visível que eu estava menos destruída que as outras meninas, é notável o que ela (S-Works Era) faz para uma pessoa. As outras meninas estavam com bikes boas, mas não específicas para mulheres. A S-Works é uma bike muito versátil para Cross Country, e o fato de só ter câmbio traseiro foi ótimo, porque era uma coisa a menos para eu pensar”, elogiou Viviane.

As características da bike ajudaram a ciclista tanto nas subidas quanto nas descidas. “Não tive de me preocupar em mudar a calibragem da suspensão nas descidas. Isso fez muita diferença, senti muito prazer em cima da bike. Isso (bom resultado) só foi possível por eu estar com o melhor equipamento do mundo”.