6 de abril de 2017

Brasileiro em volta ao mundo de bicicleta cruza a Cordilheira dos Andes

308625_692842_img_0960
308625_692841_img_1379
308625_692840_img_1910

Fotos: Arquivo Pessoal //

Israel Coifman percorreu mais de 320 quilômetros entre as montanhas mais altas da América do Sul.

Durante as últimas semanas, o cicloviajante Israel Coifman tem vivido momentos únicos em sua expedição. Na estrada desde dezembro de 2016, o jornalista brasileiro já passou por três países – Brasil, Uruguai e Argentina – e acaba de alcançar mais um, o Chile, após enfrentar uma semana de travessia na Cordilheira dos Andes, vasta cadeia montanhosa que acomoda picos famosos, como o Aconcágua, Chimborazo e Huascarán.

Israel conta que, apesar das dificuldades enfrentadas durante o percurso, a conexão com a natureza e o sentimento de superação marcaram a trajetória. “Atravessar a Cordilheira dos Andes foi o grande desafio da expedição até o momento. Os precipícios abaixo das curvas, o vento gelado e as dores de cabeça por conta da altitude só fizeram com que o sentimento ao final fosse ainda melhor. Cheguei a 3.500 metros acima do mar antes de cruzar para o Chile”, comenta o cicloviajante. “Além disso, enfrentei dias que bateram 32°C e noites que chegaram a -3°C, o que leva o corpo e a mente ao extremo. É preciso ter muito autocontrole”.

Partindo de Mendoza (ARG), a travessia da Cordilheira dos Andes durou uma semana, e passou por Luján de Cuyo, Potrerillos, Uspallata, Polvaredas, Puente del Inca, Las Cuevas, até chegar em Los Andes (CHI). “Os próximos desafios serão o Deserto do Atacama, aqui no Chile, e o Salar de Uyuni, na Bolívia”, conclui Israel Coifman.

O cicloviajante está há mais de 100 dias na estrada e já pedalou quase 4.000 km desde que deixou Blumenau (SC), em dezembro de 2016.

ISRAEL COIFMAN

Nascido em Santos, Israel tem 33 anos e já passou por grandes empresas como MTV e ESPN. Esteve presente em duas Copas do Mundo, nas Olimpíadas de Londres e centenas de partidas de futebol. A expedição teve início em Blumenau (SC), em dezembro de 2016, e deve passar por 55 países, com um total de 50 mil quilômetros. A cicloviagem tem cobertura do site lifelapse.com.br e acompanhamento em tempo real por meio do sistema de rastreamento via satélite Spot Gen3.