Corralco, o Alaska da América do Sul

Fotos e texto: Christiano Cardoso / EstúdioSportsMag    //

Chegou o grande dia! Dia 1º de agosto.

O primeiro encontro, após alguns churrascos, é claro, é o aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre. A equipe Iguana vai chegando aos poucos, alguns já com as suas pranchas de snowboard, outros com os seus esquis e capacetes em mãos para a primeira parte da trip mais aguardada por todos no ano. O embarque atrasou um pouco, mas chegamos em SP com um tempo de sobra para a conexão com destino a Santiago, onde iríamos dormir uma noite para pegar outro voo com destino à pequena cidade de Temuco. O voo para Temuco é curto, em apenas uma hora chegamos ao novíssimo aeroporto da cidade.

O aeroporto e a equipe eram tão novos que acabamos esperando por mais de 15 minutos dentro do avião parado, pois a equipe de chão não estava conseguindo conectar aquela sanfona ao avião –acho que fomos um dos primeiros a testar o equipamento. Mas tudo certo, desembarcamos e fomos aguardar o transfer que nos esperou com a chegada da primeira neve na cidade mesmo. Na verdade, era uma neve quase chuva, mas já deu para sentir o clima que nos aguardava. Embarcamos na van e partimos para o destino final; após duas horas e meia, chegamos ao hotel, e que hotel, que estava tomado de neve. Na chegada é aquela ânsia para pegar os equipamentos e sair para dar a primeira deslizada na neve, mas infelizmente, devido ao horário, só deu para fazer um reconhecimento da área do hotel, ajeitar as coisas nos quartos e dar uma relaxada na ótima estrutura da piscina, que ainda conta com uma jacuzzi e uma sauna para dar aquela relaxada. A turma nessa noite se dividiu, foi cada um para um lado, pois o dia seguinte seria de muito esqui – e nada melhor que colocar o corpo em dia para não perder nenhum minuto. Ufa!

Domingo, acordamos e olhamos para a janela. A visão era perfeita, na verdade, quase perfeita: olhamos para o bosque de araucárias que rodeia o hotel e pudemos ver que havia nevado muito durante a noite, sorte a nossa! O primeiro café foi daqueles em que quase se engole a comida sem sentir o gosto, botas no pé e foi! Entramos nas pistas às 9h da manhã e saímos às 16h com uma pequena pausa para um lanche no café do topo da montanha, que conta com uma lareira central para aquecer os corpos gelados após um dia de neve nas montanhas. Os dois primeiros dias foram assim, quase iguais, neve à noite e com um pouco de vento durante o dia, mas nada que impedisse a prática do esporte nas montanhas de Corralco. O meio de comunicação entre os Iguanas nas pistas eram aqueles rádios walk-talks, para marcar de descer algumas pistas juntos, enquanto os que não tinham se encontravam ao longo do dia nos lifts ou no topo das montanhas.

Um dos grandes diferencias de Corralco é que pode se fazer vários fora de pistas que mais parecem pistas, porque a neve ali é tão boa que parece ser tudo igual. Fora que, pelo fato de ainda não ser uma estação muito badalada, a turma dos Iguanas praticamente esquiou uma semana sozinha. Até brincávamos lá, entre nós, que, se não fosse um grupo de militares chilenos em treinamento, seríamos os donos da estação! Sim, na semana em que estávamos em Corralco, deveria ter uns cem militares em treinamento, e cruzar com eles pelas pistas virou rotina. No final já abanávamos para alguns até. Mas nem tudo foi como o esperado, pois na quarta-feira o tempo virou, e virou mesmo. A chegada de um vendaval, que para alguns parecia um tufão, nos obrigou a ficar dentro do hotel, sem a menor chance de colocar o nariz na rua. Foi feia a coisa. Mas como o hotel tinha boa estrutura, ficamos jogando sinuca, pingue-pongue, canastra, alguns foram para a academia, outros para a piscina, e, claro, jogamos bastante conversa fora em frente à lareira do hotel, com um bom vinho chileno, porque ninguém é de ferro! Fora que a cozinha do hotel é de tirar o chapéu, com um serviço de buffet no jantar de alto padrão, que surpreendeu a todos.

Os ventos das cordilheiras foram implacáveis e não deram trégua. Na quinta-feira pela manhã, ainda deram o sinal de que seríamos obrigados a ficar mais um dia no hotel. Ficamos, mas conseguimos fazer uma caminhada pelas trilhas dentro de um bosque ali perto que valeu a pena. Aquelas coisas que só se faz assim, com imprevistos, caso contrário, não iríamos conhecer aquele lugar. Mas a adrenalina para esquiar era tão grande que, pela tarde, alguns Iguanas não se aguentaram e montaram uma minirrampa na frente do hotel para dar alguns saltos. E foi bacana mesmo, deu para se divertir e ainda fazer umas boas fotos da turma! Diversão garantida, pois a previsão para o dia seguinte era de um dia épico nas montanhas. Feito!

E a previsão se confirmou. Os deuses estavam do nosso lado! E até para os mais experientes, o comentário foi o mesmo: “Essa neve, com estas condições de pista e sem vento, são situações raras que irão ficar na memória de todos por muito tempo”, comentou Cris Simões, diretor do Point da Neve, que tem uma bagagem enorme de estações de esqui.

E assim ficou por mais três dias: ótima condição de neve, pistas vazias e sem vento, tudo que um esquiador quer quando vai para uma montanha. Sorte? Sim, viajar para uma estação de neve ou para algum lugar em que você irá depender do clima é uma viagem de risco, e você tem que estar preparado para isso. Nós ficamos dois dias no hotel, poderiam ser três ou quatro, mas os Iguanas têm pé quente, e conseguimos curtir muito uma nova estação que tem um enorme potencial para crescer. Corralco ainda é nova, mas estão investindo muito: inclusive neste ano eles já contrataram o Pelé das montanhas, para administrar a estação, que foi declarada reserva natural em 1931 e conta com uma área de 12.789 hectares que, além do esqui e snowboard, trazem a possibilidade de fazer algumas cavalgadas, pesca esportiva, trekking e excursões ao vulcão Lonquimay em algumas épocas do ano.

O Valle Corralco Hotel & Spa e suas pistas acolheram a equipe dos Iguanas, e com certeza todos irão ficar com boas lembranças desse novo local para a prática de esportes. Foi uma semana épica e com visuais surpreendentes, que deixaram saudades e aquele gostinho de quero mais. Que venha a temporada de 2015!

Curtiu? Então prepare-se para a sua próxima aventura na neve com algumas dicas da turma do Point da Neve:

:: Roupa: vista-se em camadas, como cebola, da ceroula térmica ao casaco. Funciona muito bem para ficar aquecido.

:: Alugue sempre o melhor e mais novo equipamento disponível; você irá esquiar melhor e com mais segurança.

:: Evite escolher equipamentos nos horários de pico; reserve um tempo precioso para isso.

:: Ao receber o equipamento, confira as regulagens.

:: Compre sempre equipamentos complementares, como óculos, luvas, underwear, etc., da melhor qualidade. Serão sua segurança na montanha.

:: Clientes do Point da Neve têm 15% de desconto em produtos The North Face – não deixe de pedir seu voucher!

:: Use pistas de acordo com seu conhecimento do esqui e snowboard.

:: Não esqueça: nas pistas, aquele que está acima é sempre responsável por tudo o que estiver ocorrendo abaixo…

:: Estude bem o mapa da montanha e o leve para as pistas junto com as suas coisas.

:: Fora de pista: é para quem sabe muito; sim, é muito perigoso; não se está protegido pelos serviços dos centros de esqui, nem coberto pelo seguro-saúde.

Veja a cobertura completa de fotos desta expedição aqui: http://www.sportsmag.com.br/coberturas/equipe-iguanas-2014/

Mais informações sobre pacotes de neve em www.pointdaneve.com.br.

Esta matéria contou com o apoio de: SFB Treinamento Funcional e Corralco Mountain & Ski Resort – Chile