Em busca da felicidade

TRABALHADOR QUE SURFA É TRABALHADOR FELIZ!  //  

Por Patrícia Tadeia

Deixar os trabalhadores felizes é, sem dúvida, o grande segredo para o sucesso de uma empresa. Aliás, todas deveriam se lembrar disso. Mas a verdade é que, hoje em dia, poucos patrões se preocupam tanto com os empregados como esse da história que contaremos. Em Portugal, são poucos os que o fazem, mas já existem. Imagine só se, um dia, seu patrão chegasse com passagens de avião para Bali, na Indonésia, e dissesse apenas: “Temos um projeto para concluir. Vamos até Bali. Lá é mais tranquilo!”. Seria, sem dúvida, o sonho para qualquer um de nós. Na KwameCorp, uma empresa de tecnologia cuja sede portuguesa é em Lisboa, esse é um sonho tornado realidade.

Qual é, afinal, o segredo para conseguir os melhores trabalhadores? Deixá-los felizes. E é nisso que todas as empresas deveriam pensar. Algumas já o fazem em Portugal, mas ainda não tantas quanto seria desejado. Mas, afinal, como se deixa os empregados felizes? Planejando atividades, deixando que trabalhem a partir de casa quando se justifica, oferecendo massagens, ou por exemplo, deixando que façam uma pausa para o surf durante o dia? Essas são algumas das medidas referidas pelo site Business News Daily (www.businessnewsdaily.com), e que já acontecem em empresas portuguesas. A pausa para o surf também já acontece na Califórnia, onde até há empresas que colocam, na receção, as condições das ondas de cada dia. Além dessas medidas, o site aponta, ainda, a isenção do horário de trabalho, serviços de saúde, oferta de bilhetes para variados eventos.

João Afonso, de 29 anos, tem o privilégio de trabalhar numa empresa desse gênero. Recém-chegado de Bali, onde esteve fazendo um projeto com os colegas – porque lá conseguiam uma maior tranquilidade para o realizar e, claro, mais surf – conta à SPORTS MAG que todos os dias vai surfar com os colegas e o patrão. “O meu chefe é o primeiro a pôr o pessoal na água se as ondas estiverem boas”, confessa. João é programador sênior na KwameCorp, que explica ser uma “empresa de R&D em mobile (essencialmente Android)”, cuja sede portuguesa é em Santos, Lisboa,.

“O surf aqui está sempre presente. A ida recente para Bali surgiu, pois tinham um ‘projeto muito difícil para realizar e muito pouco tempo’ para o fazer. Então meu chefe, Kim, teve essa ideia, de fugirmos para um sítio fora de Portugal, para podermos dar o máximo e assegurarmos que o projeto ficasse perfeito. Como todo o pessoal surfa, escolhemos Bali”, conta.

Kim Hansen, o famoso patrão, chegou a Portugal há cerca de 15 anos. Se mudou só para poder surfar. “A ideia de Bali não foi única, mas um passo para aquilo que eu chamo de um modo de vida saudável e criativo. Os nossos dois maiores objetivos na Kwamecorp são: criar o melhor local de trabalho possível e e criar o maior impacto social positivo possível no mundo. Por melhor local de trabalho, refiro-me a um local onde as pessoas são felizes, saudáveis e com uma criação de valor incrível. Para chegar a isso, temos de configurar o ambiente certo onde as pessoas (na Kwamecorp não me refiro às pessoas como trabalhadores ou recursos) possam crescer, por meio da inspiração e da liberdade”, explica Kim Hansen à SPORTS MAG.

“Idealmente, se pudermos criar grandes experiências, e ao mesmo tempo um grande impacto positivo no mundo, acredito que estamos no caminho certo. O projeto de Bali é um exemplo de crescimento pessoal, mas que tem outras vantagens”, conta ainda.

Nessa viagem, a equipe estava trabalhando em um projeto de consultoria para a Samsung. “O início estava bem definido e podíamos terminá-lo a partir de qualquer lugar do mundo, bastando um bom acesso à internet. Bali oferece uma excelente combinação de estadia barata, um clima excelente, grandes experiências, etc. Nós escolhemos um lugar chamado Projeto Getaway (projectgetaway.com), que nos ofereceu ótimas condições, com o local de trabalho perfeito, a internet, que era ótima, boa comida e muitas pessoas inspiradoras”, recorda Kim.

Por lá, nada podia ser mais perfeito. “Tivemos uma estadia maravilhosa, com o típico dia começando com um surf de manhã e à tarde, trabalho focado. Além de surfar, fomos visitar algumas das ilhas vizinhas (Nusa Lembonkan e Lombok) nos fins de semana. O sorriso das pessoas, o lugar exótico, as condições de surf incríveis, a boa comida, o clima quente e a sensação de liberdade foram a oportunidade perfeita para fugir da rotina normal de trabalho no escritório”, conta.

Por Portugal, nos dias normais de trabalho, em que não há viagens para Bali, vão às praias da Costa da Caparica ou Ericeira surfar. “Muitas vezes nós vamos surfar juntos, tanto na parte da manhã como no intervalo para o almoço. Mas, além do surf, há outros interesses que também são compartilhados, como a música, o treinamento físico, viagens, etc. Claro que, fazendo essas coisas, ficamos mais próximos. Isso cria uma energia positiva. Quando as pessoas são livres para desfrutar essa paixão juntas e a empresa promove isso, eu acredito que ela se sentem melhor, mais conectadas e felizes. As pessoas felizes geram melhores resultados”, conclui Kim Hansen.

Para João Afonso, poder fazer uma pausa para surfar “muda tudo” no dia de trabalho. “Tenho de ser responsável e saber se o trabalho permite ou não parar para surfar, mas, quando dá, muda meu dia, sim”, diz. E parece que, na Kwamecorp, as viagens não vão ficar por aqui. Kim fala em outros locais que num futuro próximo podem servir de destino e inspiração. São eles Havaí, Taiti e Fiji. Com empresas assim, dá gosto trabalhar!

Projeto Getaway (projectgetaway.com)

Iniciativa que coloca empresários aventureiros a viver e trabalhar juntos em locais inspiradores ao longo de várias semanas. O Projeto Getaway é uma experiência completa. É voltado para empresários bem-sucedidos que procuram aventura!