6 de novembro de 2013

Nado Sincronizado

09-05-gemeg
09-02-gemea
09-01-menna

AS SEREIAS DO NADO SINCRONIZADO

Por Ana Balardim

Fotos Nike do Brasil – Marcelo Magalhães

Nesta matéria você conhecerá a história de duas lindas atletas… e que atletas! Além de competentes nas piscinas, as gêmeas BEATRIZ e BRANCA FERES, do nado sincronizado, ainda esbanjam inteligência, sensualidade, espontaneidade e carisma… tudo em DOSE DUPLA… para nenhum guri botar defeito!

As gêmeas nasceram em 22 de fevereiro de 1988, na Tijuca – RJ, curiosamente sob o signo de Peixes e em dia de dilúvio, com a casa da família tomada pela chuva, ou seja, intimidade com a água é o que não lhes falta!

Bia e Branca começaram a fazer natação e ginástica rítmica aos 3 anos no Tijuca Tênis Clube – RJ, pois “não paravam quietas” e a mãe das meninas as colocou na água para gastarem mais energia.

Aos 7 anos, entraram para o nado sincronizado, modalidade que exige mais treinamento, e passaram a aparecer como substitutas de outras gêmeas do nado, Isabela e Carolina de Moraes, que abandonaram o esporte e hoje trabalham no Cirque du Soleil. O fato de ser gêmea no nado sincronizado é uma supervantagem que não pode ser ignorada, ajuda na sintonia e também na parte estética, já que a dupla precisa estar igual.

E por falar em sincronia, isso é o que não falta a estas meninas, elas treinam juntas todos os dias por quatro horas no Clube e depois permanecem grudadas do café da manhã ao jantar. Bia e Branca são muito amigas e ligadas, como a maioria dos irmãos gêmeos, e não precisam de muito para se divertir, conta Branca:

“Nos bastamos. Também sentimos as coisas uma da outra. Se acontece alguma coisa com a Bia, eu sinto imediatamente.”

Elas amam ser iguais… chegam a ter o mesmo peso na balança! A única diferença física é que Bia tem 2 centímetros a menos que Branca, que tem 1,66 metro e os olhos levemente mais puxados que a primeira. Bia ainda é comunicativa, extrovertida, e Branca é mais contida e tímida.

Elas costumam dizer:

“Uma é Yin e a outra é Yang”

A dupla não vive só do esporte: estudam teatro e já fizeram participação na novela “Mulheres de Areia”, representando Ruth e Raquel quando crianças. Atualmente estão na figuração na novela “Duas Caras” e também vão atuar no filme “Dores e Amores”, onde disputarão o ator Kayky Brito, além de trabalharem também como repórteres para a MTV.

Eleitas “Musas do Pan” pelo site globoesporte.com, Bia e Branca também receberam vários convites para campanhas publicitárias depois de conquistar o bronze nos Jogos do Rio. Entre as matérias, destacam-se as das revistas Maxim e Vip, além do ensaio fotográfico feito para o site Paparazzo.

Quanto a posarem nuas, Bia brinca:

“Nunca! É uma coisa com a qual eu não conseguiria conviver. Não conseguiria olhar para o meu pai, meu avô, para os amigos do meu namorado…Para o meu porteiro”.

E por falar em namorado, quando pergunto se já aconteceu de algum confundir elas, as meninas logo respondem:

Bia: “Já. O meu namorado (Rafael Gonzalez) uma vez ia beijando a Branca. Mas na hora se tocou que não era eu”.

Branca: “Ela e o Rafael são dois distraídos! Eu já sou mais séria”.

Agora o que todo guri quer saber:

Que tipo de homem agrada às moças?

Bia: “O meu! Adoro o sorriso e o senso de humor dele”.

Branca: “Homem tem que ser alegre e ter o sorriso bonito”.

O que elas não toleram em um cara?

Bia: “Homem improdutivo. Garoto que não trabalha, que não faz nada”.

Branca: “Não gosto de homem muito vaidoso, narcisista. São egoístas”.

Apesar de conciliarem bem a carreira nas piscinas e a rotina de modelo, atriz e apresentadora, elas afirmam sofrer preconceito por serem bonitas. Branca afirma:

“No Brasil, é meio complicado, ninguém consegue associar talento com beleza”.

Atualmente as gêmeas integram tanto Equipe quanto Dueto, mas ao contrário do que muitos pensam elas não formam o Dueto Titular da Seleção Brasileira, posto ocupado atualmente por Lara Teixeira e Nayara Figueira. As irmãs se preparam para tentar ser o Dueto nos Jogos de 2012 em Londres.

Na piscina Bia e Branca colecionam glórias. Em 2003 ganharam o primeiro título pela Seleção Juvenil, foram campeãs Sul-Americana no Dueto e Equipe; em 2004 foram finalistas na Equipe Mundial Júnior de Moscou (11º lugar) e na Rotina Livre Combinada (9º lugar); em 2005 Bia ficou em segundo lugar no Pan-Americano Júnior de Orlando, entrou para a seleção adulta e participou do Mundial de Montreal, no Canadá. Na temporada seguinte, Bia foi campeã Sul-Americana absoluta e participou do World Trophy, na Rússia, ficando em sexto lugar no Combo e em sétimo na Equipe; em 2006 foi a vez de Branca, que foi Campeã Sul-Americana absoluta por Equipe e Rotina Livre Combinada; em 2007 a dupla disputou o Mundial adulto, em Melbourne, na Austrália – evento que consideram o mais marcante dentro das piscinas, pois ficaram na frente da França pela primeira vez na história. Nesta competição, o Brasil foi finalista na Equipe Livre (10º lugar), Equipe Técnica (10º lugar) e Combo (9º lugar). Branca também foi finalista no Aberto da Itália, garantindo quinto lugar em Equipe. Este ano as gêmeas ainda participaram dos Jogos Pan-Americanos, integrando a Equipe que conquistou a medalha de bronze, em competição que teve os EUA em primeiro lugar e o Canadá em segundo.

E quanto a planos? O que mais esta dupla linda, de movimentos assimétricos e sorriso encantador pode esperar?

Elas prometem que vão brilhar nas próximas Olimpíadas e garantem que a meta agora é investir na carreira de apresentadora.