6 de novembro de 2013

Os segredos da pista

01-01-dsc_7341
01-02-DSC_7243
01-03-DSC_7270

Por Karol Denardin

38 mil pessoas em pleno frio de Santa Cruz do Sul. Certamente nenhuma delas se arrependeu de comparecer ao Autódromo Internacional para presenciar as muitas emoções da quarta etapa da Stock Car. Além da inesperada vitória do competente novato Max Wilson (Eurofarma – RC), as batidas e punições encheram de adrenalina o circuito santa-cruzense.

Apesar de gelado, o domingo era ensolarado.  Max Wilson, 1m50cm, 36 anos, largava na 5ª posição. A pole position estava nas mãos do favorito: Cacá Bueno. Mas como qualquer competição é uma caixinha de surpresas, a estratégia da equipe de Wilson o levou à 1ª posição do pódio. Para Max, que pilotava o carro número 65, a corrida foi tranquila. Ele poupou os pneus para evitar o desgaste e acabou ultrapassando e abrindo distância de Cacá Bueno. “Dali pra frente foi tranquilo. Passei a ficar mais concentrado e sabia que a prova estava sob controle. Era só não errar”, explica o modesto campeão. Cacá terminou a corrida em segundo e Átila Abreu (AMG) completou o pódio.

Cacá Bueno tinha o favoritismo por já ter vencido cinco provas no autódromo. O que torna o mérito de Max Wilson ainda maior é o fato de o piloto nunca ter andado no circuito de Santa Cruz. Apesar de ter perdido parte do primeiro treino livre por problemas na bomba da direção hidráulica, Max ainda conseguiu se habituar com a pista. “A pista é medonha. É pequena, mas tem segredos. Precisava de algumas voltas para me familiarizar, e consegui fazer isso ainda nos treinos livres de sexta-feira”, disse.

A corrida pode ter sido tranquila para Max, mas diversos imprevistos acabaram tirando alguns pilotos da competição. Allam Khodair (Full Time), Thiago Camilo (Vogel), Ricardo Maurício (RC), Marcos Gomes, William Starostik (Medley) e Felipe Maluhy (Avalone) não tiveram a chance de completar o circuito.

A primeira punição foi para Allam, por bater em Thiago Camilo. Logo depois, o próprio Thiago foi eliminado por tirar da prova Ricardo Maurício, que estava na segunda posição. E Marcos Gomes foi desclassificado por excesso de velocidade no pit lane durante o reabastecimento. Outro momento de tensão foi quando William Starostik (Medley) e Felipe Maluhy (Avalone) bateram na reta dos boxes, fazendo os dois abandonarem a prova.

Todos estes acontecimentos movimentaram a corrida e tornaram a vitória de Max Wilson ainda mais emocionante.  Com este resultado ele passa da sexta colocação para a liderança da competição, com 53 pontos. O segundo colocado geral, Valdeno Brito, está com 49 pontos. (Veja no quadro como funciona a pontuação na Stock Car.)

O NOVATO QUE BRILHOU

Max Wilson nasceu em Hamburgo, na Alemanha, e veio para o Brasil com 5 anos de idade. Depois de passar 12 anos fora do Brasil, voltou este ano, e já mostrou para que veio. Desde criança era fã de automobilismo, o que fez Max ingressar no Kart ainda criança, com 11 anos.

Sua primeira corrida oficial foi em Campinas, na categoria Quarta Menor. Ele chegou em 5º lugar, o que considera ter sido um grande estímulo para sua carreira. Depois disso ainda fez parte das categorias Fórmula Ford, Fórmula Chevrolet (vice-campeão brasileiro em 1994), Fórmula 3 (vice-campeão sul-americano em 1995) e Fórmula 3000. Em 1996, foi para a Europa disputar a Fórmula 3 Alemã, onde conquistou 2 vitórias.

 E não pense que ele se deu por satisfeito: entre 1997 e 2000 foi piloto de testes na Fórmula 1 da equipe Williams. Já em 2000, Max passou a fazer parte da equipe Arciero Blair para uma temporada na Fórmula Indy. Dois anos depois, estreou na Copa Australiana V8 Supercars, categoria de corrida de carros de passeio que se desenvolveu na Austrália no começo dos anos 90, e foi por lá que ele ficou até agora. Para a alegria dos fãs de velocidade ele está de volta, e com a disposição de um estreante. Max Wilson é patrocinado pela Eurofarma – RC e faz parte do Chevrolet Power Team.

ENTENDA MAIS SOBRE STOCK CAR

Raio X do carro

Motor

A sigla V8 designa os cilindros (oito) e a forma como eles estão dispostos no motor (V). Tem potência de 480 cavalos a 6.000 RPM. O cabeçote é de alumínio.

Pneus

Pneu radial da marca Goodyear com 25.5, 10.5 e 18 polegadas. Desenvolvido no Centro Tecnológico da Goodyear em Akron, Estados Unidos.

Roda

As rodas de cubo rápido OZ Racing são da Itália.

Banco

Banco Dural, o mesmo utilizado na competição americana de Stock Car, a Nascar.

Diferencial

Diferencial XTrac importado da Inglaterra.

Chassi

Tubular, feito de tubos de molibdênio sem costura.

Freios

A disco, da Fremax, com sistema independente para cada uma das quatro rodas. As pastilhas são da Ecopads. As pinças de freio AP Racing são da Inglaterra.

Câmbio

Câmbio de 6 marchas XTrac importado da Inglaterra.

Carroceria

De fibra de vidro, mas com todo o acabamento interno de fibra de carbono.

Nose e Crash Box

Compõem o novo sistema de absorção de impacto, o usado na Fórmula 1. Ficam posicionados na frente do carro e atrás.

Peso Mínimo

Cerca de 1.1310kg, incluindo o piloto com macacão, luvas, sapatilhas, capacete e os fluídos.

Pontuações:

Prêmio por tempo

Pole Position recebe 03 pontos, o segundo lugar recebe 02 pontos e o terceiro, 01 ponto.

Após a largada, os 15 primeiros pilotos recebem pontos conforme a tabela abaixo:

1º – 25 pts 6° – 10 pts 11º – 05 pts

2º – 20 pts 7º – 09 pts 12º – 04 pts

3º – 16 pts 8º – 08 pts 13º – 03 pts

4º – 14 pts 9º – 07 pts 14º – 02 pts

5º – 12 pts 10º – 06 pts 15º – 01 pt

Super Final

Após a oitava etapa, os dez pilotos mais bem colocados vão para a Super Final. Seus pontos serão modificados de acordo com a tabela abaixo:

1º – 225 pts            6° – 210 pts

2º – 220 pts            7º – 209 pts

3º – 216 pts            8º – 208 pts

4º – 214 pts            9º – 207 pts

5º – 212 pts            10º – 206 pts

Na Super Final, os pilotos pontuam normalmente. Quem somar mais pontos será o campeão de 2009. Se dois competidores terminarem empatados, o vencedor é quem tiver o maior número de vitórias. Persistindo o empate, vence quem tiver mais segundos lugares, e assim sucessivamente.

Equipe Campeã

Será aquela que conquistar o maior número de pontos somados por seus pilotos. Os dois piores resultados serão descartados.

Fonte: Revista Stock Car 2009

PRÓXIMAS ETAPAS DA STOCK CAR EM 2009

09/08 – Salvador, BA

 

20/09 – Rio de Janeiro, RJ

 

04/10 – Londrina, PR

 

25/10 – Curitiba, PR

 

08/11 – Brasília, DF

 

22/11 – Tarumã, RS

 

06/12 – São Paulo, SP

CLASSIFICAÇÃO DA 4ª ETAPA:

1º) Max Wilson (CV) 32 voltas em 48min37s154

2º) Cacá Bueno (P3) a 6s382

3º) Atila Abreu (CV), a 6s709

4º) Antonio Pizzonia (P3) a 8s541

5º) Daniel Serra (P3) a 9s358

6º) Valdeno Brito (P3) a 12s347

7º) Popó Bueno (CV) a 13s272

8º) Rodrigo Sperafico (P3) a 13s763

9º) Xandinho Negrão (CV) a 14s470

10º) Alceu Feldmann (CV), a 14s775

 

CV: Chevrolet Vectra

P3: Peugeot 307

POWER TEAM!

O Chevrolet Power Team é um projeto inédito no automobilismo brasileiro e está em sua terceira temporada dentro da Stock Car. A empresa está presente desde a primeira corrida da categoria, disputada em 1979, no Rio Grande do Sul. Os pilotos do Chevrolet Power Team fazem parte de oito equipes, confira abaixo a ficha de cada um:

Pilotos do Chevrolet Power Team em 2009

Alceu Feldman #06

Curitiba – PR

Pedro Gomes #08

Ribeirão Preto – SP

Nono Figueiredo #11

São Paulo – SP

Thiago Camilo #21

São Paulo – SP

Duda Pamplona #23

Rio de Janeiro – RJ

William Starostik #31

Curitiba – PR

Norberto Gresse #44

São Paulo – SP

Átila Abreu #51

Sorocaba – SP

Paulo Salustiano #55

São Paulo – SP

Lico Kaesemodel #63

Curitiba – PR

Max Wilson #65

São Paulo – SP

Popó Bueno #74

Rio de Janeiro – RJ

Marcos Gomes #80

Ribeirão Preto – SP

Ricardo Maurício #90

São Paulo – SP

Xandinho Negrão #99

Campinas – SP