6 de novembro de 2013

Remo

12-04-remo7
12-03-remo6
12-02-remo13

REMADAS PELA HISTÓRIA

Por Karol Denardin

Fotos Christiano Cardoso

O GPA, Clube de Regatas Guaíba-Porto Alegre, completa 120 anos com a mesma vitalidade de seus atletas e buscando cada vez mais vitórias. O clube começou o ano bem, vencendo o Sul-Americano e conquistando o inédito tricampeonato.

Porto Alegre tinha somente 50 mil habitantes e os escravos acabavam de ganhar a liberdade. Foi então que um grupo de jovens germânicos fundou o Ruder-Club Porto Alegre, em 1888. No mundo, o remo já era explorado como esporte desde o início do século XIX, tendo surgido na Inglaterra. Foi então que começaram a surgir clubes, como o Leander Club, criado em 1817, o mais antigo do mundo.

Da Inglaterra, as regatas rapidamente se espalharam para diversos países da Europa, ganhando aos poucos notabilidade por todos os continentes. No início as embarcações eram pesadas e largas, mas com o tempo foram sendo aperfeiçoadas, trazendo assim mais velocidade, pela facilidade com que o barco deslizava na água. Hoje em dia as embarcações possuem tecnologia de ponta e o remo é um esporte que cada vez cresce mais.

No Brasil, o surgimento do Ruder-Club contribui para isso até hoje, além de ter sido um importante marco desportivo, principalmente para Porto Alegre. Ali nascia a primeira associação destinada à prática do esporte, pois as que existiam na cidade eram voltadas à cultura física, sem fins competitivos. A sede inicial foi um chalé de madeira, perto da atual Praça da Alfândega, e os primeiros dois barcos foram trazidos da Alemanha.

Quatro anos após o surgimento do Ruder-Club Porto Alegre, nascia a segunda agremiação náutica da cidade, o Ruder-Verein Germânia, também de origem alemã. Anos depois, em 1936, os clubes tiveram que nacionalizar seus nomes, em função da 1ª Guerra Mundial. A partir dali, passando a ser Club de Regatas Porto Alegre e Club de Regatas Guahyba.

No mesmo ano, as duas agremiações fundiram-se, assim surgindo o Clube de Regatas Guaíba-Porto Alegre, o GPA. A data de fundação permaneceu a do Ruder-Club Porto Alegre, sendo assim o GPA o clube de remo mais antigo do Brasil. Ainda em 1936 o clube colocou os primeiros remadores gaúchos em uma olimpíada, Kranen e Sauter, nos jogos olímpicos de Berlim. Tal feito foi repetido em 1948, com Paulo Diebold e Pérsio Zancani participando das olimpíadas de Londres.

Com 120 anos de histórias e conquistas, o GPA continua fazendo remo para todos, assim seguindo o ideal de seus fundadores. Criado pelo remo e para o remo, o foco do clube é proporcionar a prática desse esporte para todas as idades, classes sociais e capacidade técnica.

A máquina

Atualmente o GPA conta com vários destaques em sua equipe, que congrega os remadores estreantes, juvenis, juniores e seniores mais preparados técnica e fisicamente para participar de regatas. Eles se dedicam regularmente aos treinamentos e possuem prioridade no uso dos melhores barcos e remos disponíveis.

Nos últimos três anos, o clube obteve diversas vitórias em campeonatos brasileiros e sul-americanos. A mais recente delas foi pela categoria Máster (acima de 27 anos), a conquista do tricampeonato sul-americano, em maio deste ano. Desde 1999 o clube vem participando do certame mundial da categoria (em Sevilha – Espanha, Haekzewickel – Bélgica e Montreal – Canadá), obtendo importantes resultados. A equipe Máster é composta por mais de 30 atletas.

Na Sub23 (até 22 anos), Denis Fernando Silva Araújo é bicampeão brasileiro. No final do ano passado ele subiu ao pódio para receber o Troféu Brasil Unificado, disputado em São Paulo. A conquista foi pela prova de duplo-skiff categoria Júnior, juntamente com sua dupla: Evaldo Mathias Morais Becker, que é mais uma promessa do clube na categoria Júnior (até 18 anos).

Quanto às Olimpíadas, o presidente do clube, Ricardo Diefenthaeler, está otimista: “A expectativa do GPA é de colocar um atleta seu já na Olimpíada de Londres, em 2012, embora o horizonte planejado pelo clube seja mais longo (2016). O clube, embora lute contra a conhecida falta de recursos do esporte amador, agravada por ser o remo um esporte com pouca penetração na mídia e de alto custo, oferece boas condições para formar atletas olímpicos”.

“Rema que passa!”

A prática de remo conjuga técnica, sincronia de movimentos, força e preparo físico. Especialistas afirmam ser, juntamente com a natação, a melhor modalidade esportiva para desenvolver o bem-estar físico geral. Remar queima muitas calorias, proporciona desenvolvimento muscular e cardiovascular e aprimora a flexibilidade e coordenação motora. Tratando-se de competição, o remo é um esporte bastante exigente. Para bons resultados é necessário um treinamento forte, organizado e sistemático.

Marcelo Richter, 36, começou a remar em 2003, e como ele mesmo conta, além de ter os gepeanos como uma família, encontrou uma ótima forma de desenvolver a autoestima, confiança e disciplina que um esporte como o remo exige. Sem contar a melhora do sistema cardiovascular e movimentação de praticamente toda a musculatura do corpo, um exercício completo.

A Escola do GPA oferece plenas condições para o aprendizado do esporte, com barcos específicos e instrutores qualificados.  Não é necessário ser sócio, nem há limite de idade, e o material a ser utilizado é fornecido pelo clube. A instrução dos iniciantes é feita em terra, e tendo dominado os movimentos da remada o aluno vai para a água. Aqueles que tiverem interesse e passarem pela preparação adequada começam a participar de regatas e podem compor a equipe para defender o nome do clube.

Quem pratica o esporte leva isso como muito mais que uma atividade física, encara como uma forma de viver: “Acredito que nada resume melhor a filosofia de vida dos remadores do que uma resposta pronta de um antigo treinador do clube, quando nos queixávamos de alguma dor ou qualquer tipo de problema: ‘Rema que passa!’”, comenta Marcelo.

Fiel a sua missão, o clube desenvolve também um importante trabalho social-esportivo com adolescentes carentes de Porto Alegre, dentro de um projeto chamado “Estrela Guia”. Nele, a prática do remo é utilizada como pano de fundo para a realização de atividades que, além do natural desenvolvimento físico-motor dos participantes, atinjam o plano psicossocial dos participantes, promovendo o desenvolvimento da solidariedade, da sociabilidade e da consciência ecológica.

Na sua segunda fase, iniciada em abril de 2007, o Estrela Guia passou a contar com 50 alunos da Escola Estadual de Ensino Fundamental Lions Club Porto Alegre-Farrapos, com atividades em duas tardes por semana. A ideia do projeto é mostrar que o esporte de uma maneira geral — com destaque para o remo e a canoagem — é um meio muito eficaz na formação de indivíduos fisicamente sadios e socialmente integrados.

Acima de tudo, são 120 anos de democracia no esporte. Um clube que tem a visão de que tão importante quanto formar campeões é tornar o remo uma fonte de saúde, amizade, lazer e cidadania.

“Ou lutamos como um time, ou morremos como simples indivíduos”. Esse é o nosso espírito!”, Marcelo Richter, na foto ao lado em primeiro no barco.

Para saber mais:

O Clube de Regatas Guaíba-Porto Alegre fica na rua João Moreira Maciel, 470 – Porto Alegre – RS

Fone: (51) 3342-2197

Site: www.gpa1888.com.br