6 de novembro de 2013

Surfe e arte nas telas

03-01-golfinhos na maldivas
03-02-turtle
03-04-havaiana

Comecei a desenhar ainda “muleque” na escola, rabiscando os livros de História, Geografia e Biologia, onde as páginas eram tomadas por “ilhas com coqueiros” e “ondas tubulares” em formato de riscos e rabiscos que representavam minha vontade de estar ou de lembrar o surf, minha maior paixão.

Conforme fui evoluindo, fui incentivado por minha mãe a fazer um curso de desenho, onde aprendi a transformar estes em paisagens e perspectivas com luz e sombra, sendo mais tarde realizadas em folhas Sulfite A3, utilizando-se apenas o grafite como base de minhas Obras.

Algum tempo depois, na praia do Quintão, conheci o artista e amigo surfista Léo, que ao ver meu trabalho, sugeriu a hipótese de trocar o grafite pelas cores! Fiz o teste, e não é que deu certo?!

De lá para cá, são 10 anos de pinturas em Madeirite, Eucatex, Telas, Paredes e Muros.. Começou com o Esmalte Sintético, passando pela Tinta Acrílica chegando na Óleo. Utilizo desde pincéis a sofisticação do Aerógrafo, aparelho inserido na execução das mesmas para aumentar a qualidades nos traços, efeitos e texturas. Realizei ainda um curso de Croqui, Cor e Aquarela, o que aumentou minha área de atuação, proporcionando recursos “extras” para minhas Artes e trabalhos arquitetônicos da Faculdade de Arquitetura.

Durante estes anos, fui evoluindo conforme ia expondo e comercializando minhas Artes, sendo reconhecido e tendo divulgado meu trabalho através de diversos meios, sendo Festas, Exposições, Mostras Internacionais, Revistas e Informativos!

Minha maior conquista foi durante o Inverno do ano passado, onde no Parque Ibirapuera em São Paulo, participei ao lado de outros 44 artistas Nacionais e Internacionais da V Mostra Internacional da Cultura e Arte Surf, realizada pela revista Alma Surf.

Com a intenção de evoluir minhas Artes, principalmente na parte de divulgação, criei minha Logomarca, a Surf e Arte, que além de expor minhas Artes através de meu site (www.surfearte.com.br), criei um padrão de satisfação pessoal e pública, com a total dedicação em todas as minhas Obras  produzidas.

Atualmente venho me especializando na criação de Artes onde possam chegar cada vez mais perto da realidade de Paisagens Paradisíacas, aperfeiçoando os momentos “congelados” que representem  uma ação ou um momento, além de tentar repassar a sensação de bem estar ao estar visualizando as mesmas.

As Roubadas..

Como todo e qualquer ramo de atividade que envolva algo que o grande público fique agraciado, sempre há a parte das barcas furadas.. Minhas maiores decepções e graças a Deus as duas únicas, foram com duas casa noturnas de Porto Alegre, onde na primeira (J-Bay) depois de ter minhas 27 Artes expostas pelas paredes do Bar, saí para curtir um feriado em Floripa..Mas para meu maior desgosto como artista, ao voltar deparo-me com uma enorme faixa na frente dizendo: aluga-se! Passaram-se pelo menos dois anos até que conseguisse voltar a ter vontade de pintar e querer entrar no ramo novamente. Foi quando pela segunda vez, agora com menos Artes mas de tamanhos maiores que as da primeira vez, tive “perdidas” 6 delas para o antigo (Luau Bar – Go surf), onde jamais voltaram ou se quer tive satisfações perante estas..

Passado o trauma, consegui engrenar firme e forte, mas desta vez sem nenhum tipo de problema.

O que é ser Artista..

 

Como todo Hobby, a pintura artística começa involuntária, de modo prazerosa e sem compromissos maiores. A coisa muda de figura no momento em que há um comprometimento pessoal e público tanto na divulgação quanto na comercialização principalmente, pois além de buscar a excelência nas Obras, o nome e a reputação artística estão à prova.

O ramo artístico é derivado em diversos níveis e setores, onde a Pintura é bastante utilizada pela grande maioria dos autodidatas. Para se conseguir “entrar no mercado” é preciso um  tempo mínimo de aprendizado, ou ser potencialmente diferenciado da grande maioria, o que faz a diferença e arranca “grandes pontuações” na hora da escolha.

Infelizmente, tratando-se da região sul do País, onde a grande maioria é pouco vista ou prestigiada em questões de Surf Arte, a divulgação fica mais difícil e praticamente nula quanto a “concorrências” , exposições e comercializações.

Particularmente, tive que buscar meu espaço através de pesquisas em revistas, sites e locais onde o esporte é mais visto ou comentado, onde mesmo assim, na grande maioria  há um retorno muito pequeno, já que a grande maioria apenas prestigia, sendo as vezes, na grande maioria o grupo de amigos e familiares os principais participantes do processo criativo e de produção para exposições e mostras.

Poderia dizer que minha melhor presença neste meio foi quando pude participar em São Paulo da Mostra Surf realizada pela Revista Alma Surf,onde além de prestigiar e ser prestigiado pelos artistas mais visados e de forte presença no ramo, o público presente estava eufórico pela grande quantidade de Artes relacionadas ao esporte.

Resumindo, para conseguir manter-se ativo e presente no mercado durante estes 10 anos de Arte, foi preciso muita dedicação, comprometimento e sempre estar buscando o diferencial, sejam nas idéias, nos materiais e texturas, tanto para a satisfação pessoal como principalmente a pública.